DÚVIDAS FREQUENTES

O que é a Castração?

A castração é uma cirurgia simples, de baixo risco, que pode ser feita em todos os tipos de mamíferos, tanto nos machos quanto nas fêmeas. É o mecanismo mais eficaz e humanitariamente correto que se conhece para impedir que cães e gatos procriem descontroladamente.

Acabei de adotar um gatinho. O que fazer?

Mesmo que ele aparente estar bem de saúde é imprescindível que seja feito um exame clínico e hemograma em clínica especializada.

Vacinar: a vacina polivalente e a antirrábica são as mais importantes, sendo que a polivalente pode ser encontrada em várias versões diferentes que são as V3, V4 e V5, a diferença entre elas se dá em função da quantidade de antígenos contida em cada uma. A V3 (Vacina Tríplice) previne os gatos contra Panleucopenia, Rinotraqueíte e Calicivirose; enquanto a V4 (Vacina Quádrupla), além de todos os antígenos contidos na V3, inclui, ainda, a proteção contra a Clamidiose. Os intervalos são:

  • Aos 60 dias de vida: 1ª dose da polivalente
  • Aos 90 dias de vida: 2ª dose da polivalente
  • Aos 120 dias de vida: 3ª dose da polivalente e a vacina antirrábica.

Adultos: Dose única da polivalente (aconselhável dar mais uma dose de reforço após 30 dias) e a vacina antirrábica.

A primeira dose só pode ser dada ao bichano a partir de seus 60 dias de vida.

 Vermifugar: Os vermífugos são medicamentos que previnem as principais doenças em gatos causadas por vermes que podem gerar grandes danos à saúde dos animais. Para filhotes a vermifugação deve ser feita por volta dos 30 dias de vida, em seguida, repete-se a dose com 45 dias de vida. Aos 60 dias de vida se administra a terceira e última dose de vermífugo. É aconselhável que a vermifugação seja feita regularmente de 3 em 3 meses.

 Castrar: Os gatos são animais que quando estão no cio possuem um instinto muito forte. A cada gestação, podem nascer de 2 a 12 gatinhos e o ciclo da fêmea dura apenas dois meses. 

Porque devo castrar o meu gatinho?

Quando estão no cio, os gatos possuem um instinto muito forte. A mudança de comportamento nesse período pode trazer grandes transtornos para dentro de casa. A fêmea não irá sossegar até conseguir fugir e encontrar um macho, tarefa fácil, já que ele estará rondando o local atraído pelo cheiro. A cada gestação, podem nascer de 2 a 12 gatinhos e o ciclo da fêmea dura apenas dois meses. Por isso a grande importância da castração, que evitará grande proliferação desses animais e, consequentemente, do abandono. Além do controle populacional, a castração tem outras importâncias: melhora a qualidade e a expectativa de vida dos animais que vivem dentro ou fara de casa; nas fêmeas o grande stress causado pelo cio e a possibilidade de doenças no sistema reprodutor são eliminados; nos machos o índice de agressividade diminui, assim como a necessidade de demarcação de espaço, móveis e poltronas ficam protegidos. Geralmente o procedimento é realizado após os seis meses de vida, mas pode ser feito após o terceiro. É uma operação de retirada dos órgãos reprodutivos, por isso o animal recebe anestesia geral e fica conectado a aparelhos responsáveis pelo monitoramento dos sinais vitais e pela prevenção de complicações. O corte feito na barriga dos gatos é bem pequeno e a operação dura cerca de 10 minutos. Se tudo correr bem, o animal é liberado para voltar para casa no mesmo dia. 

                                                                                                                    Por Kathy Sousa


Principais doenças que acometem gatos

RINOTRAQUEÍTE VIRAL FELINA: os sintomas são: tosse, espirros, corrimento ocular e/ou nasal. A melhor maneira de prevenção é a vacinação e evitar aglomerados de gatos.

 LEUCEMIA VIRAL FELINA: predispoem os gatos infectados a desenvolverem doenças tumorais como o Linfoma ou outras enfermidades como imunodeficiência, anemias crônicas, infertilidade e abortamento, artrites e doenças renais.  

 SÍNDROME DE IMUNODEFICIÊNCIA ADQUIRIDA DOS FELINOS DOMÉSTICOS - AIDS FELINA: Os gatos que saem à rua e brigam com outros gatos são os maiores candidatos a se infectar. Os sintomas são; diarreia crônica, perda de peso, anemias, doenças respiratórias e até mesmo enfermidades mais graves como Linfomas.

 GIARDÍASE: os principais sintomas são vômito e diarreia. Muito freqüente em ambientes com muitos gatos. 

 CISTITES: Os sintomas são: urinar em pequenas quantidades e repetidas vezes; presença de sangue na urina; dor à micção e alguns machos podem apresentar obstrução da uretra e, conseqüentemente, retenção de urina. 

 DOENÇAS RENAIS: bastante frequentes e podem evoluir para a disfunção dos rins. Os sintomas são: beber muita água e apresentar um volume urinário grande, perda de peso, diminuição ou mesmo ausência de apetite, vômitos e anemia.

                                                                                                             Por Kathy Sousa


Divulgue a (na) SUPRA

https://www.facebook.com/supra.ong

https://www.facebook.com/supraIV?fref=ts

https://www.facebook.com/denise.max.94?fref=ts

https://www.facebook.com/supra.ong.3/?fref=ts

https://www.facebook.com/suprauberaba/?fref=ts

https://www.facebook.com/SupraAchadosEPerdidosUberaba/?fref=ts

https://www.facebook.com/supramiau/?fref=ts